Arquivo da tag: Digital

Configurar PayMee Brasil na VTEX

Agora é possível configurar o checkout da PayMee Brasil e aceitar pagamentos via transferência bancária ou em dinheiro, em mais de 10 mil pontos espalhados em todo o Brasil.

Para fazer as configurações, siga os passos abaixo:

Configurar afiliação de gateway PayMee Brasil na VTEX

  1. Acesse o módulo PCI Gateway;
  2. Clique em Configurações;
  3. Na aba Afiliações de Gateways, clique no botão +;
  4. Clique no conector PayMee (nossa PayMee é com duas letras “e”);
  5. Preencha os campos de Application Key e Application Token com os dados fornecidos pela PayMee.
  6. Cadastre-se aqui, é um processo bem rápido e fácil;
  7. Clique em Salvar,

Isso ai pessoal!

O que é Headless eCommerce?

Nós ouvimos essa palavra com tanta frequência no mundo do comércio eletrônico e aplicativos da web, e não é apenas por causa da nossa história favorita de Halloween. “Headless eCommerce” é o que está direcionando o mercado para desafiar as soluções de comércio padrão.

Então, o que realmente significa ‘Headless eCommerce’?

Nos termos mais simplistas, Headless eCommerce representa uma plataforma / solução que se abstém de definir o front-end perfeito simplesmente não tendo um. O que isso significa é que nós desacoplamos e removemos a interface de usuário do frontend e, em vez disso, entregamos uma plataforma através de uma API RESTful composta por um modelo de dados back-end, lógica de negócios e infra-estrutura baseada em nuvem.

QUAL É A DIFERENÇA DAS SOLUÇÕES TRADICIONAIS DE ECOMMERCE

Se o primeiro parágrafo não o afastou das soluções tradicionais de comércio eletrônico, ou se ainda não está convencido, vamos analisar de forma mais profunda como isso é diferente das soluções tradicionais de comércio eletrônico e quais são os benefícios do Headless eCommerce.
As soluções tradicionais de comércio eletrônico não são decadentes e exigem mais do que apenas uma máscara da loja próxima de Halloween. As soluções tradicionais de comércio eletrônico, como o Magento ou o Shopify, possuem um front-end predefinido que permite os recursos básicos de comércio eletrônico. Você pode estar pensando: “Isso é ótimo e tudo o que preciso!” Mas e se eu lhe dissesse que o Headless eCommerce poderia lhe dar tudo isso, exatamente do jeito que você quer, e não da maneira como Magento ou Shopify o obrigam a pensar que você quer?
Por exemplo, vamos comparar o aplicativo de acumulação completa da Magento com uma plataforma de Headless Commerce, como a solução (OrderCloud.io). O Magento é um aplicativo full stack, o que significa que ele fornece a experiência e funcionalidade de front-end para usuários finais e usuários de administração, ou seja, as pessoas que gerenciam a loja de comércio eletrônico e as pessoas que compram sobre ela. Você pode estar pensando: “Sim, isso parece ótimo! Onde posso me inscrever? “, Mas vamos examinar mais de perto por que esses” pontos de venda “são realmente restrições de uma plataforma tradicional versus uma plataforma de Headless Commerce.

O ECOMMERCE TRADICIONAL COLOCA LIMITES DE DESENVOLVEDORES FRONT-END

Ecommerce tradicional: os desenvolvedores de front-end são restritos ao design e processo de front-end que é criado pela solução. Se eles querem mudar os dados, eles precisarão editar o banco de dados, o código e o front-end também … ! Há também limitações no que pode realmente ser atualizado e /ou editado sem anular uma garantia ou impedir que uma atualização futura funcione corretamente.
Headless Ecommerce: ao não ter um front-end definido, a solução permite que os desenvolvedores front-end criem uma experiência de usuário completamente atendida e única que se encaixa exatamente no que as empresas precisam. Os desenvolvedores de front-end não precisam mais se preocupar em modificar o banco de dados. É uma simples chamada de API e boom, os dados estão disponíveis na IU. Os desenvolvedores front-end são gerenciados gratuitamente!

O ECOMMERCE TRADICIONAL TEM CARÊNCIA DE CUSTOMIZAÇÃO E PERSONALIZAÇÃO

eCommerce Tradicional : soluções tradicionais vêm com uma experiência predefinida tanto para uma experiência de usuário final como para usuários administrativos. Mais uma vez, isso não é novo e provavelmente soa exatamente como você estava procurando. Mas, se essas soluções só permitem uma fácil edição de temas e fontes, isso realmente proporciona a experiência de usuário final “perfeita” com todas as funcionalidades desejadas exatamente da maneira que você deseja?

Headless eCommerce: Esqueça a idéia de ser constrangido com o que o eCommerce tradicional define como a experiência correta do usuário e comece a criar o seu próprio do zero. As soluções Headless eCommerce permitem que você defina o que deseja como a experiência do seu usuário, tanto para usuários finais como para usuários de administração, e você ainda pode fazer com que as fontes e os temas parecem assustadores.

O ECOMMERCE TRADICIONAL NÃO É FLEXÍVEL

Ecommerce tradicional: as soluções tradicionais são acopladas, o que significa que o front-end está diretamente correlacionado com o código e a infraestrutura de back-end, e isso cria um obstáculo para as personalizações desejadas. Uma personalização exige alterações por todo o caminho até chegar na camada do banco de dados. Imagine trabalhar com um aplicativo SaaS e ter que fazer uma edição em seu fluxo de trabalho ou mesmo adicionar um campo de dados. Isso exigiria um desenvolvedor full stack habilidoso que esteja muito familiarizado com as etapas necessárias ou tenha um ‘bacana’ na empresa dona da solução que pode fazer isso acontecer!
Headless eCommerce: Headless eCommerce desacopla o front-end e o back-end, que permite flexibilidade e personalização infinitas para fazer as modificações que você deseja e requer apenas um desenvolvedor front-end. Mudanças tão grandes como fazer um fluxo de pagamento personalizado e tão pequenas como adicionar um novo campo a uma conta de cliente são fáceis ao ter uma arquitetura desacoplada.

Quando se trata de eCommerce tradicional e Headless, o Headless eCommerce é simplesmente a remoção e o desacoplamento do front-end do código de back-end. “Headless” pode parecer assustador, mas permite flexibilidade infinita e acesso completo às funcionalidades de uma API para tornar a experiência do usuário final completamente única e projetada exclusivamente para você e seus clientes.

 

Esse artigo é uma tradução e adaptação do original em inglês https://ordercloud.io/headless-ecommerce-guide/.

How about work with digital

I started to work with Digital last year, but I have been working with eCommerce since 2009, I mean officially in B2C (business to customer) operations, also I have worked with eCommerce since 2006, when I needed to make a system for one of the biggest Brazilian pharmaceutic industries to it communicate with its buyers.

Well, at this time, from to 2006 to 2012 it was not normal to hear the term “digital”, nowadays it is so normally than:

  • Big Data – this concept is not so young, actually the technologies allow data processing with great scale, then, we started to work with massive data in a very large scale
  • IoT (Internet of Things) – wearables like Iwatch and some bracelets can verify how is the person’s heart, how many calories one person is losing while this one is practicing some sport etc.
  • NoSQL (not only SQL) – Databases with characteristics that determines a type or group specialized in Database’s softwares

After I started to work in eCommerce’s Startup of fast fashion, I started to hear this term “Digital”, after in a great retailer, and after in my own company (for while small but focused in system integration), and now at the bigger Digital Agency and consulting in the world, I hear this every day and all the time…

IMHO we have started living in the “Digital Culture”, because nowadays less than half of the population in the world has access to the Internet, only 44%.

When we talk about the Digital Culture, we can see social networks connected one with each other, for example Twitter + Linkedin or Instagram + Facebook, people who communicate in a lot of social networks, global interaction between the users, and the most interesting to me: a collective mind.

The collective mind is the concept of a lot of minds without limits working together, of course it is concern of the minds plugged in a social network.

When you have the opportunity to work with a lot of people who have this type of behavior (digital culture, and it is only the begining) I think you can’t  have a blocker in your mind.

References

http://www.tracto.com.br/quantas-pessoas-tem-acesso-a-internet-no-mundo/
http://culturadigital.br/conceito-de-cultura-digital/